Notícias

Mutirão do Diabético de Itabuna oferece atendimento gratuito no dia 23.11

1 de novembro de 2019

No dia 23 de novembro (sábado), acontecerá mais uma edição do Mutirão do Diabético de Itabuna, que será realizado no Hospital Beira Rio, das 08h às 13h. Promovida pela ONG Unidos pelo Diabetes desde 2004, a iniciativa tem como objetivo prevenir as complicações causadas pela doença, a exemplo da cegueira e insuficiência renal. Para isso, serão oferecidos gratuitamente procedimentos médicos especializados, como avaliação do fundo do olho, pé diabético, avaliação renal e bioquímica, e, nos casos graves, tratamento a laser da retina.

De acordo com a ONG, para dar conta dos atendimentos, participam do mutirão cerca de 1 mil voluntários, incluindo médicos, estudantes de medicina, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, odontólogos e outros profissionais de saúde. Reconhecida internacionalmente, a ação, que este ano completa 15 anos, realizou mais de 35 mil atendimentos na edição passada, entre exames médicos, avaliações e orientações multiprofissionais em diabetes e detecção de novos casos.

OUTRAS AÇÕES – A ONG também promove um passeio ciclístico em comemoração ao Novembro Azul, voltado à prevenção do diabetes através da prática de exercícios físicos. A Pedalada Azul será neste domingo, dia 03, com largada às 8h, no Hospital Beira Rio. Também fazem parte da campanha o Aulão Azul, no dia 30 de novembro, às 7h30, com atividades físicas na Praça Rio Cachoeira, e a Luz Azul, que incentiva que espaços públicos, estabelecimentos comerciais e residências sejam iluminados de azul durante o mês de novembro.

Para a presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), conselheira Teresa Maltez, o trabalho voluntário desenvolvido pela ONG Unidos pelo Diabetes merece reconhecimento, já que, além de estimular a prevenção da doença, dá continuidade na assistência aos pacientes diabéticos. Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, existem atualmente, no Brasil, mais de 13 milhões de pessoas vivendo com a doença, o que representa 6,9% da população nacional.

 

Compartilhe: