Notícias

Cremeb fiscaliza ‘conforto médico’ da Climério de Oliveira e encontra más condições

3 de maio de 2019

Previsto na Lei Federal 3.999/1961 e constatada a inexistência de vedação ética pelo Parecer Cremeb 55/08, o conforto médico é o espaço onde o profissional que está em regime de plantão utiliza para higiene pessoal, troca de roupa, guarda de pertences e local de descanso.

Entretanto, os ambientes designados para o conforto médico na Maternidade Climério de Oliveira, que está provisoriamente funcionando nas instalações do Hospital Salvador, apresentam algumas debilidades, de acordo com o a fiscalização do Cremeb realizada terça-feira (30), e ratificada pelos médicos plantonistas que utilizavam os respectivos locais durante a visita. São duas salas para o conforto médico: uma no térreo do prédio e outra no sexto andar, onde funciona a UTI Neonatal. Ambos os ambientes não possuem janelas e as camas ocupam quase que a totalidade do espaço.

Dentre as más condições constatadas na sala do térreo, destacam-se o mofo nas paredes e teto; infiltrações; banheiro sem box divisório; reforma da parede de gesso sem acabamento, pintura e forro; além de ar-condicionado instalado em tomada que não é exclusiva para seu uso, o que aumenta a possibilidade de sobrecarga da rede elétrica, como ressaltado por um dos médicos presentes. Nesta sala há quatro camas e um colchão avulso, que são divididos por cinco profissionais. Logo, é comum algum deles utilizar o colchão para descanso no chão.

Já no sexto andar, o descanso médico fica dentro da UTI Neonatal e o espaço é compartilhado com a sala de prescrições. “Aqui não há condições de descanso. A sala serve apenas para esticar o corpo em alguns momentos, mas não temos condições de descanso por dividirmos o espaço com um setor que nunca fecha, por exemplo”, desabafa uma das médicas plantonistas, se referindo ao constante movimento da sala de prescrições. É nesta sala que está o único telefone da UTI Neo (por isso ela nunca está fechada), além de constar alarmes e outros ruídos sonoros comuns ao trabalho do local, mas inadequados para o ambiente do conforto médico. A fiscalização identificou também que não há banheiro nesta sala do conforto médico.

A maternidade é gerida pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e está funcionando nas dependências do Hospital Salvador desde outubro de 2017, uma vez que o seu prédio segue em obras de requalificação. Após confecção do Termo de Vistoria e Relatório de Fiscalização, os documentos serão encaminhados à Diretora Técnica da Maternidade Climério de Oliveira, para que se tenha ciência da situação e promova condições de melhorias naqueles pontos listados pelo relatório.

Confira abaixo algumas fotos da fiscalização:

Compartilhe: