Notícias

Cremeb cobra das autoridades segurança para os profissionais de saúde

7 de março de 2019

Diante do aumento de casos de agressões contra médicos durante o trabalho, o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb) vem a público, mais uma vez, cobrar que providências imediatas sejam tomadas por parte das autoridades das áreas da saúde e de segurança pública, a fim de garantir a vida e preservar o bem-estar dos profissionais que zelam pela saúde dos seus pacientes.

Na madrugada do dia 23 de fevereiro, a médica baiana Andresa Meira de Matos foi mais uma vítima de violência. Ela sofreu uma agressão física de um paciente durante plantão no Hospital Álvaro Bezerra, na cidade de Maracás, após negar um atestado médico de três dias. “Ele estava bem, sem dor. Não havia necessidade de afastamento do trabalho por três dias. Ele me agrediu enquanto fazia o atestado de comparecimento”, contou ela.

Para a profissional, que teve fraturas no nariz, a falta de estrutura na saúde pública e a ausência de segurança pública nas unidades de saúde, principalmente no interior, são fatores que contribuem para essa insegurança. “O motorista, o enfermeiro e o porteiro do Hospital que seguraram o paciente para ele não fugir”, relatou ela, informando ainda que dias antes do ocorrido uma enfermeira havia sido agredida verbalmente e uma médica foi empurrada durante o atendimento.

Campanha – No final do ano passado, o Conselho Federal de Medicina (CFM) lançou uma campanha institucional chamando atenção dos médicos sobre a importância de registrar esse tipo de crime na forma de boletins de ocorrência, na delegacia de polícia mais próxima. Veja abaixo orientações do CFM de como proceder em caso de agressão.


Se houve ameaças:

  1. Registre ocorrência na delegacia mais próxima ou online;
  2. Informe, por escrito, às Diretorias Clínica e Técnica sobre o ocorrido;
  3. Encaminhe o paciente a outro colega, se não for caso de urgência e emergência.

 Se houve agressão física:

  1. Compareça à delegacia mais próxima e registre o boletim de ocorrência (haverá necessidade de exame do corpo de delito);
  2. Apresente dados dos envolvidos na agressão e de testemunhas;
  3. Comunique o fato imediatamente às diretorias clínica e técnica para que seja providenciado outro médico para assumir suas atividades.
Compartilhe:
» Portal da Transparência » Atualize seu endereço » Imprima aqui seu boleto » Código de Ética Médica » Cód. de Processo Ético-Profissional » Pareceres e resoluções » Regras de publicidade médica » Biblioteca Online Curta nossa página
no Facebook